THEME BY ©
My secrets in metaphorical words.
« 5/31 »

Senti a maré subir
Seu coração acelerou
Bombou tanto sangue
Que virou meu barco a remo

Tentei me manter firme
Mas as ondas me inundaram
Sem saída fui levado pelo sangue
Dentro das tuas veias

Teu corpo me expulsou
Seu peito não mais me quis
E de toda aquela tormenta
Veio a calmaria do sol

Com o peito livre do sufoco
Pôde amar novamente
Com o coração vazio
Pôde dar de novo lar a alguém. 



matanzaconstanza:

cicuta on Flickr.




"Setting fire to our insides for fun, collecting names of the lovers that went wrong"
- Daughter

"So please, go easy with my baby. Please, go easy."
- Mac DeMarco

Pois perto de ti sempre fiz sombra
Quando me afastei, dei espaço ao sol
Ele iluminou a tua vida vida
Aqueceu teus dias frios
E me transformou numa silhueta
Um vulto ao longe
Um simples passado.


mofo-cosmico:

“Já me matei faz muito tempo

me matei quando o tempo era escasso

e o que havia entre o tempo e o espaço

era o de sempre

nunca mesmo o sempre passo

Morrer faz bem à vista e ao baço

melhora o ritmo do pulso e clareia a alma

Morrer de vez em quando

é a única coisa que me acalma”

Paulo Leminski   


Você puxou o pino
Eu segurei a granada
Saí correndo
E tropecei

Na explosão
Feri a alma
Você teve arranhões,
Mas já cicatrizaram

A guerra acabou
Ninguém morreu
Ninguém venceu
Nem o amor